Tempero da Vida

Nutrição Nutricionistas
Rosane Vidinhas
21 de setembro de 2017

21 de Setembro é Dia Mundial da Doença de Alzheimer

Por Rosane Vidinhas, 21 de setembro de 2017

A Doença de Alzheimer aparece hoje com maior frequência que antes. Quantos de nós conhecemos alguém, ou amigo ou parente de amigos, com a doença.

AMOR E DEDICAÇÃO é fundamental.

*Cartilha oferecida pela APAZ

Não tem cura, nem pode ser revertida, porém o alívio frente à doença pode ser controlado.

Até então normal, de vida sadia, a pessoa passa a ter esquecimentos, não reconhecer familiares próximos, não identificar ações simples como distinguir objetos, contar dinheiro, saber andar sozinha pela rua e cuidar da própria higiene.

É muito importante que pessoas que cuidam e lidam diretamente com pessoas com Alzheimer, busquem apoio, a fim de que possam se habilitar melhor quanto ao tratamento a prestar ao idoso e também que possam dividir toda a tristeza e desconforto que sentem diante de um quadro instalado num ente querido cuja vida anterior era tão diferente.

No Rio de Janeiro procure pela APAZ – Associação de Parentes e Amigos de pessoas com Alzheimer, Doenças Similares e Idosos dependentes.

*Folheto oferecido pela APAZ

http://www.apaz.org.br

Maria Inês Monteiro, é Nutricionista e viveu a situação em sua família, agora num trabalho voluntário, faz parte da Comissão Científica da APAZ, auxiliando não apenas aos portadores de Alzheimer como também aos cuidadores.

Além de suas atividades na Associação, a Nut. Maria Inês se compromete a conscientizar as pessoas quanto à doença. Distribui panfletos elaborados pela APAZ e tira dúvidas de colegas e de quem mais tiver necessidade de orientações na prática.

*Cartilha oferecida pela APAZ.

A Comissão Científica da APAZ é composta por profissionais de várias especialidades: Geriatras, Fonoaudiólogos, Psicólogos, Terapeutas Ocupacionais, Musicoterapeutas, Dentistas, Advogados. Além da Nut. Maria Inês também a associação conta com outra colega, a Nutricionista Beatrice Carvalho.

O idoso já apresenta paladar e olfato diminuídos, carências nutricionais, e exige cuidados. O paciente com Alzheimer por sua mudança de comportamento exigirá atenção nas 24 horas do dia.

A avaliação da doença e seu diagnóstico exige envolvimento de equipe multidisciplinar, tanto de médicos, nutricionistas, psicólogos etc. procurando adequar cada caso a um tratamento individual. Visa a reposição de nutrientes, medicação necessária, avaliação dentária…

O relato que segue é baseado na experiência da Nutricionista Maria Inês:

“ – O paciente com Alzheimer precisa de amor e compreensão. Não é fácil para a família, até porque essa pessoa exigirá cuidados em tempo integral.

O sofrimento é maior para quem cerca a pessoa que está doente do que para a própria pessoa que está com Alzheimer. A doença deixa a pessoa vivendo em outro espaço-tempo, ou seja, no seu passado. Enquanto nós continuamos com os enfrentamentos do dia a dia.

Pessoas que na primeira fase aguda da doença que se mostravam agressivas, com hipertensão, diabetes, etc.  podem na fase crônica diminuir a pressão arterial, e ter sintomas das outras doenças mais amenizados, provavelmente por viverem “fora da realidade” e não existir mais tanto estresse.

A atenção no momento da refeição se faz necessária por vários aspectos:

1- O portador de Alzheimer muitas vezes não identifica se já comeu, que horas comeu, e tende muitas vezes a acabar de fazer a refeição e dentro de um curto tempo dizer que está com fome, que ainda não comeu. Por isso, é importante controlar a ingesta de cada vez.

2- Não identifica a textura dos alimentos: pode a refeição ter feijão com caldo e caroço, arroz e outras opções, que poderá achar que é tudo líquido (por conta do feijão) e virar todo o prato na boca. Perde a noção de texturas.

3- Um importante recurso na hora de se alimentar é a MÚSICA. A pessoa tem suas preferências musicais, músicas de sua época, sendo assim, colocar um som que o paciente gosta no momento de se alimentar poderá auxiliar a aceitar melhor o alimento.

4-O momento da refeição requer paciência, para evitar repreensão e não “bater de frente”.

5-Pessoas com Alzheimer surpreendem quando antes não gostavam de determinado alimento e passam a gostar. Por exemplo, não gostava de limão, passa a aceitar limonada suíça.

6-É comum quem tem Alzheimer trocar a figura das pessoas. Normalmente é o cuidador quem passa a maior parte do tempo com o idoso, quando um filho chega para oferecer a alimentação, a pessoa poderá não aceitar.

7-A condição bucal deverá ser avaliada por um dentista a fim de que a alimentação possa ser oferecida na condição necessária. Se os dentes estão em perfeito estado, se há uso de próteses, etc. A higiene bucal é também um grande desafio.

8-Mastigar e engolir pode não ser tão simples para alguns pacientes.

Em fases avançadas principalmente, existe um método que é o de colocar a comida numa colher de chá e levar ao centro da língua do idoso, colocar água gelada numa colherzinha de café e estimular a ponta da língua com essa água gelada para que a pessoa consiga engolir o alimento, ao contrário de ficar remoendo na boca.

Muitas das vezes é necessário o trabalho conjunto com uma Fonoaudióloga que fará exercícios e estímulos para auxiliar o paciente com a deglutição (o ato de engolir).

9-Deve-se buscar ao máximo que o portador de Alzheimer consiga ingerir alimentos mesmo que na forma branda (os alimentos são mais cozidos, fracionados, etc.) ou mesmo pastosa e adiar a necessidade da nutrição enteral feita por sonda.

10- O paciente esquece de beber água. É preciso o cuidador lembrar. Já é normal o idoso diminuir a ingesta líquida, dessa forma, é interessante oferecer a água saborizada (com gotinhas de frutas) ou um chazinho”.

Uma Associação como a APAZ merece nosso apoio para que possa continuar a aliviar o sofrimento de uma doença como o Alzheimer que não tem cura e exige muito carinho e atenção de todos nós.

Consulte também:

https://www.researchgate.net/profile/Julio_Marchini/publication/228481895_Nutricao_no_idoso/links/00b7d514d935fcbc0b000000/Nutricao-no-idoso.pdf

http://www.moreirajr.com.br/revistas.asp?id_materia=5292&fase=imprime

http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0871-34132008000400005

 

© 2017 Tempero da Vida. Todos os direitos reservados.

Outlab.